Quinta-feira
19 de Setembro de 2019 - 
BEM VINDOS A PASCOTO ADVOGADOS ASSOCIADOS.... QUALIDADE, CONFIABILIDADE, RESPEITO E SEGURANÇA NAQUILO QUE SE FAZ!!!
Pascoto Advogados Associados... segurança, qualidade e respeito a você sempre!

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Insira seu email aqui para receber noticias dos tribunais

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
Espanha 0% . . . .
França 0,43% . . . .
Japão 1,86% . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .
S&P 500 0,31% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 4,10 4,10
EURO 4,53 4,53
IENE 0,04 0,04

Previsão do tempo

Hoje - Marília, SP

Máx
40ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Sexta-feira - Marília, SP

Máx
40ºC
Min
26ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Marília, SP

Máx
34ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Marília, SP

Máx
34ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Ação sobre taxa para exploração de recursos hídricos no Amapá terá liminar analisada pelo Plenário

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6211 para julgamento da liminar pelo Plenário da Corte. A ação foi ajuizada pela Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (APINE) contra dispositivos da Lei 2.388/2018, do Estado do Amapá, que instituiu, em âmbito local, taxa sobre atividade de exploração e aproveitamento de recursos hídricos. A Associação alega inconstitucionalidade formal por usurpação da competência, tendo em vista atribuição conferida à União pela Constituição Federal (artigo 22, inciso IV) para legislar sobre águas e energia. Sustenta que inexiste lacuna normativa que respalde a atuação dos estados sobre a matéria, uma vez que foi esgotado o tratamento do tema pela União. Com relação à alegação de inconstitucionalidade material, a associação argumenta que foi criado “imposto travestido de taxa”, já que não houve indicação de ação estatal concreta correspondente ao exercício regular do poder de polícia, o que justificaria a exigência de taxa. Alega ainda ofensa aos princípios de vedação ao confisco, modicidade, proporcionalidade, razoabilidade e moralidade. A APINE requereu a concessão da liminar para suspender a eficácia dos dispositivos questionados e, no mérito, sua declaração de inconstitucionalidade. Diante da urgência apresentada na petição inicial, o ministro decidiu submeter ao Plenário o pedido de implemento de liminar, nos termos do artigo 10 da Lei 9.868/1999 (Lei das ADIs). Em sua decisão, o relator abriu prazo de cinco dias para que as autoridades estaduais prestem informações sobre o pedido. Após esse período, determinou que os autos sejam encaminhados à Advocacia-Geral da União (AGU) e à Procuradoria-Geral da República, para que se manifestem sobre a matéria no prazo de três dias.
22/08/2019 (00:00)

Contate-nos

PASCOTO ADVOGADOS ASSOCIADOS

RUA COMENDADOR FRAGATA  150
-  FRAGATA
 -  MARILIA / SP
-  CEP: 17501-350
+55 (14) 34324925
Visitas no site:  110248
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.